segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

O que é pregar o Evangelho - Charles Spurgeon (2)


Pregar o Evangelho é exaltar a Jesus Cristo. Talvez esta seja a melhor resposta que posso oferecer. Entristece-me saber que, com muita freqüência, pouco se compreende acerca do Evangelho, mesmo entre alguns dos melhores cristãos. Há algum tempo, uma jovem mulher encontrava-se em meio a grande tribulação em sua alma. Ela se aproximou de um cristão muito piedoso, que lhe disse: “Minha querida amiga, deves ir para a casa orar!”. Eu pensei comigo mesmo: nada disso é bíblico. A Bíblia não diz: “Vai para a casa e ora”. A pobre jovem foi para sua casa e continuou sofrendo sua tribulação. O homem lhe disse: “Deves ter paciência, deves ler as Escrituras e estudá-las”. Isso também não é bíblico; isso não é exaltar a Cristo.

Descubro que muitos pregadores estão pregando essa classe de doutrina. Eles dizem ao pobre pecador convencido: “Precisar ir para a casa orar, ler as Escrituras, assistir aos cultos, etc”. Obras, obras, obras ao invés de: “Por graças sois salvos, por meio da fé!”. Eu lhe diria isto: “Cristo deve salvar-te; creia no nome do Senhor Jesus Cristo!”. Não lhe diria a ninguém, nestas circunstâncias, que ore ou que leia as Escrituras, ou que assista ao Templo. Eu lhe apresentaria a fé, a fé simples no Evangelho de Deus. Não que menospreze a oração; isso deve vir depois da fé. Não que diga uma única palavra contra o estudo das Escrituras; este é um sinal infalível de ser um filho de Deus. Não que tenha objeções contra ir ao templo para se ouvir a Palavra de Deus; que Deus não me permita tal coisa! Alegro-me vendo as pessoas no templo! Porém, nenhuma destas coisas é o caminho da salvação. Em parte alguma está escrito: “O que assiste ao culto será salvo!”, ou “O que lê a Bíblia será salvo!”. Não li em qualquer lugar: “O que ora e é batizado será salvo!”; mas sim: “Aquele que crer...” – o que tem uma fé sincera no ‘Homem Cristo Jesus’; em sua divindade e em sua humilhação, está livre do pecado!

Pregar que somente a fé salva, é pregar a verdade de Deus. Igualmente, jamais reconhecerei como ministro do Evangelho, alguém que prega qualquer outra coisa como plano de salvação, que não seja a fé em Jesus Cristo. A fé, a fé, e somente a fé em seu nome! Porém, a maioria das pessoas se encontra envolta em suas próprias idéias. Temos impregnado em nosso cérebro tão alto conceito de mérito, que nos é quase impossível pregar de maneira clara e completa a justificação pela fé; e se conseguimos fazê-lo, então as pessoas não conseguem receber tal pregação. Dizemos-lhes: “Creia no Senhor Jesus e serás salvo!”. Porém, eles têm a impressão de que a fé é algo tão maravilhoso, tão misterioso, que é quase impossível que a possam alcançar sem precisarem fazer algo mais. Na verdade, essa fé que nos une ao Cordeiro de Deus é um dom instantâneo de Deus, e aquele crê no Senhor Jesus é salvo no mesmo momento, sem qualquer outra exigência.

Ah, meus amigos! Será que não desejamos exaltar ainda mais a Cristo em nossa pregação, e exaltá-Lo ainda mais em nossas vidas? Oh! Que sempre exista um ministério que exalte apenas a Cristo! Oh! Que a pregação sempre O mostre como profeta, sacerdote e rei para seu povo. Que o Espírito manifeste o Filho de Deus a seus filhos através da pregação. Necessitamos ter uma pregação que diga: “Olhai para mim, e sereis salvos, vós, todos os termos da terra!”. Pregação do Calvário, teologia do Calvário, livros sobre o Calvário, sermões sobre o Calvário! Estas são as coisas que desejamos! 

... pregar o Evangelho não é pregar certas verdades a respeito do Evangelho, não é pregar a respeito das pessoas, antes, é pregar para as pessoas. Pregar o Evangelho não consiste em pregar o que o Evangelho é, mas sim, anunciá-lo ao coração, não por meio de sua capacidade pessoal, mas sob a influência do Espírito Santo.

Extraído de: Olhar Reformado
Traduzido livremente por Marcelo Lemos para o projeto ‘Olhar Reformado’



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário