sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Eu só preciso me dar um pouco de graça - Mike Anderson


Todos nós precisamos de regras para seguir que nos façam sentir mais próximos de Deus. Este pecado se chama legalismo. Nós adicionamos regras que Deus não nos pede para seguir, nos sentimos bem quando as obedecemos, ou mal quando não as cumprimos, e no processo nós criamos uma nova lei.

Suas leis são um fardo

Algumas pessoas transformam a leitura diária da Bíblia em lei. Elas se sentem justificadas e santas quando leem, e culpadas quando não o fazem. Está tudo invertido porque o objetivo da leitura bíblica é se chegar mais perto de Deus, ama-lo mais, entende-lo melhor e ter o seu coração transformado 0 mas é fácil transformarmos o presente chamado leitura bíblica em um fardo. A leitura bíblica só se transforma em um fardo quando você a usa ou usa qualquer outra lei que você tenha criado para se sentir justificado, ao invés de entender que você só é feito justo por Cristo.

Você não pode fazer a obra de Deus

Você pode perceber que alguém acabou de criar uma nova regra quando este alguém usa frases do tipo: “Eu preciso me dar um pouco de graça”.
Quando você se pegar falando isso em seu coração ou em voz alta, você precisa perceber que você está tomando duas coisas como se fossem verdades:

1. 1. Você criou uma lei que você não está seguindo.
2. 2. Você está tomando o lugar de Deus ao tentar dar graça a você mesmo.


É muito fácil usar palavras do vocabulário cristão de formas anticristãs. Arrependimento é algo bom, é um dos melhores presentes que nosso Pai nos dá, o Filho conquistou por nós, e o Espírito nos capacita a realiza-lo – mas a questão é “a quem você tem se arrependido?”

Nunca se arrependa a falsos deuses

Quando você cria sua própria lei e a viola, você está pecando contra o deus pirata chamado eu. Quando você adora o dinheiro e não o tem em quantidade suficiente, não se arrependa a ele e se sacrifique no altar do dinheiro. Quando você adora o sexo e não o possuí da forma que gostaria, não se arrependa a este ídolo e se prostre em outros altares. Quando você adora o ministério, não ofereça a sua esposa, filhos e relacionamento com Jesus no altar deste ídolo. Arrependimento a deuses falsos endurecerá o seu coração e dificultará o arrependimento verdadeiro.

Não roube sua própria alegria

Esta não é uma nova lei. Sua reação a esta leitura pode ser a criação de uma nova lei. Eu não sei a que lei seu coração está inclinado, mas a maneira de evita-la é ir diretamente a Jesus. Jesus é o verdadeiro rei cuja verdadeira graça traz vida, liberdade e alegria – não culpa, desespero e isolamento.

João 1.16-17 diz: “Todos recebemos da sua plenitude, graça sobre graça. Pois a lei foi dada por intermédio de Moisés; a graça e a verdade vieram por intermédio de Jesus Cristo”.

Por favor, não permita que as leis que você criou te governem. Eu te rogo a ir até Jesus com esta situação em oração, confissão e adoração – peça que Ele te mostre a graça e a verdade que Ele nos dá de forma tão generosa.

A nova lei que eu criei ao escrever isso

Eu gostei deste artigo que eu escrevi, e ao ler o que eu escrevi, eu sou tentado a ser auto justificado por ele. Sou tentando a me sentir bem por ter pensado nisso, tirado o tempo para te ajudar, e me sentir justificado pelo ministério. Nosso coração é tão enganoso que somos tentados a pular de um pecado para outro. Vou tirar um tempo agora para ir a Jesus, admirá-lo por sua grandeza, e pedir que ele renove minhas afeições e meu desejo de ser governado por Ele.

Escrito por Mike Anderson, traduzido por Filipe Niel, postado Originalmente em The Resurgence
Extraído de: Felipe Niel

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

3 comentários:

  1. Excelente texto, Jesus nos diz que o fardo dele é LEVE, porém queremos que este fardo se torne sempre mais pesado. Isso acontece creio eu para que possamos nos orgulhar de estar carregando um fardo tão pesado...

    ResponderExcluir
  2. Até mesmo nossos "melhores" esforços como fazer leituras diárias da Bíblia, jejuar, oração, ec podem se tornar uma rebeldia contra a graça de Deus e um trabalho de nosso ego para parecermos justos diante de Deus apresentando obras...

    ResponderExcluir
  3. Nossa! Excelente texto!

    Ressalta bem a frase do profeta Isaías: Mas todos nós somos como o imundo, e todas as nossas justiças, como trapo da imundícia; todos nós murchamos como a folha, e as nossas iniqüidades, como um vento, nos arrebatam (Is 64.6)

    ResponderExcluir