quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

Caminho da Salvação: O presente do diabo para a humanidade - Helder Nozima (3)

Parte (1) , (2) , (4) e (5)

Mas a serpente, mais sagaz que todos os animais selváticos que o SENHOR Deus tinha feito, disse à mulher: É assim que Deus disse: Não comereis de toda árvore do jardim? Respondeu-lhe a mulher: Do fruto das árvores do jardim podemos comer, mas do fruto da árvore que está no meio do jardim, disse Deus: Dele não comereis, nem tocareis nele, para que não morrais. Então, a serpente disse à mulher: É certo que não morrereis. Porque Deus sabe que no dia em que dele comerdes se vos abrirão os olhos e, como Deus, sereis conhecedores do bem e do mal. Vendo a mulher que a árvore era boa para se comer, agradável aos olhos e árvore desejável para dar entendimento, tomou-lhe do fruto e comeu e deu também ao marido, e ele comeu. Abriram-se, então, os olhos de ambos; e, percebendo que estavam nus, coseram folhas de figueira e fizeram cintas para si.


Quando ouviram a voz do SENHOR Deus, que andava no jardim pela viração do dia, esconderam-se da presença do SENHOR Deus, o homem e sua mulher, por entre as árvores do jardim. E chamou o SENHOR Deus ao homem e lhe perguntou: Onde estás? Ele respondeu: Ouvi a tua voz no jardim, e, porque estava nu, tive medo, e me escondi. Perguntou-lhe Deus: Quem te fez saber que estavas nu? Comeste da árvore de que te ordenei não comesses? Então, disse o homem: A mulher que me deste por esposa, ela me deu da árvore, e eu comi. Disse o SENHOR Deus à mulher: Que é isso que fizeste? Respondeu a mulher: A serpente me enganou, e eu comi.Então, o SENHOR Deus disse à serpente: Visto que isso fizeste, maldita és entre todos os animais selváticos; rastejarás sobre o teu ventre e comerás pó todos os dias da tua vida. Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar. E à mulher disse: Multiplicarei sobremodo os sofrimentos da tua gravidez; em meio de dores darás à luz filhos; o teu desejo será para o teu marido, e ele te governará. E a Adão disse: Visto que atendeste a voz de tua mulher e comeste da árvore que eu te ordenara não comesses, maldita é a terra por tua causa; em fadigas obterás dela o sustento durante os dias de tua vida. Ela produzirá também cardos e abrolhos, e tu comerás a erva do campo. No suor do rosto comerás o teu pão, até que tornes à terra, pois dela foste formado; porque tu és pó e ao pó tornarás.


E deu o homem o nome de Eva a sua mulher, por ser a mãe de todos os seres humanos. Fez o SENHOR Deus vestimenta de peles para Adão e sua mulher e os vestiu.


Então, disse o SENHOR Deus: Eis que o homem se tornou como um de nós, conhecedor do bem e do mal; assim, que não estenda a mão, e tome também da árvore da vida, e coma, e viva eternamente. O SENHOR Deus, por isso, o lançou fora do jardim do Éden, a fim de lavrar a terra de que fora tomado. E, expulso o homem, colocou querubins ao oriente do jardim do Éden e o refulgir de uma espada que se revolvia, para guardar o caminho da árvore da vida. (Gênesis 3:1-24)


Uma das acusações mais graves que se fazem contra Deus é a criação de um mundo onde a maldade está em todo lugar. Secas e enchentes, desertos e regiões estéreis, vulcões, terremotos, tsunamis...isso sem falar nas inúmeras deficiências físicas e mentais que acometem os seres humanos. Como Deus pode ser bom com um mundo assim? Alguns chegam a uma conclusão diferente: Deus é bom, mas impotente para criar um mundo perfeito. Negar Deus é uma outra saída: a desordem explicaria a ausência de um Criador.

Mas a Bíblia rejeita todas essas explicações. Deus é bom e perfeito e criou um mundo bom e perfeito. Mas esse mundo foi corrompido pela presença do pecado. O pecado pode ser entendido como qualquer desobediência à vontade de Deus, seja em palavras, pensamentos e ações. Quando o pecado acontece, os seres humanos se afastam de Deus.

Hoje, o pecado é negado ou é visto como algo menor, sem importância, que não traz prejuízo nenhum a ninguém. O resultado é que o pecado não é mais temido ou evitado. Mas, segundo o ensino da Bíblia, a origem de todos os males da criação está exatamente na origem do pecado no mundo.

1) Um "presente de grego". Na verdade, desde o começo, o pecado foi vendido aos seres humanos como um presente atraente e agradável, algo que iria levar os homens ao mesmo nível de Deus. O problema é que esse "presente" vinha das mãos do pior inimigo do homem.

A serpente do texto não é exatamente o animal. Segundo a Bíblia, trata-se, na verdade, de um anjo chamado Satanás:


E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama Diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e com ele, os seus anjos. (Apocalipse 12:9).

A palavra "Satanás" significa adversário. Ele foi um anjo que, em algum momento, se rebelou contra Deus e seduziu vários anjos a seguirem-no em sua rebelião. Não sabemos porque ele se voltou contra Deus, mas a rebelião dele mostra que Deus criou seres com liberdade suficiente para rejeitá-Lo. Isso mostra que a servidão a Deus não é forçada (pelo menos não até o fim dos tempos).

Nem todos os anjos seguiram a Satanás. Parte deles ficou com Deus, o resto O abandonou e acabou sendo expulso do céu. Agora era a hora dos homens fazerem a sua escolha.

Só que Satanás não foi honesto. Deus havia proibido que o homem comesse apenas de um fruto: o da árvore do conhecimento do bem e do mal.

E o SENHOR Deus lhe deu esta ordem: De toda árvore do jardim comerás livremente, mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás. (Gênesis 2:16-17).

O diabo colocou em dúvida a palavra de Deus. Disse à mulher que ela não morreria se desobedecesse ao Senhor. Na verdade, a proibição era um egoísmo divino, de um Deus que queria podar o desenvolvimento da humanidade.

Hoje a mentira satânica é a mesma: o pecado tornará o homem igual a Deus. O homem deve ser o senhor de seu destino, ignorar o Criador e viver como acha melhor. Em última análise, todo pecado é uma tentativa da criatura homem em tomar o lugar do Criador.

2) Um presente mortal. Mais do que uma coisa desagradável, o pecado é um presente que traz consigo a morte. Como lemos antes, em Gênesis 2:16-17, Deus advertiu que, se o ser humano o desobedecesse, seria punido com a morte. A mesma idéia é repetida, de modo mais amplo, no Novo Testamento:


porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor. (Romanos 6:23).


A morte não acompanha apenas o comer do fruto proibido, mas todo tipo de pecado, desde uma mentira "inocente" até o mais abominável genocídio com requintes de crueldade. E a morte aparece de várias formas: desde o fim da existência física até os sofrimentos que atingem até mesmo a natureza:


A ardente expectativa da criação aguarda a revelação dos filhos de Deus. Pois a criação está sujeita à vaidade, não voluntariamente, mas por causa daquele que a sujeitou, na esperança de que a própria criação será redimida do cativeiro da corrupção, para a liberdade da glória dos filhos de Deus. Porque sabemos que toda a criação, a um só tempo, geme e suporta angústias até agora. (Romanos 8:19-22)

As "angústias" podem ser traduzidas nos tsunamis, terremotos, secas e outros desastres naturais. Humanamente falando, são as deficiências genéticas, a perda de vitalidade dos organismos, as enfermidades e fragilidades dos corpos que, cedo ou tarde, levam todos os seres humanos ao túmulo. Isso é visto de modo mais claro em pecados como o consumo de drogas, a gula e o homicídio, que efetivamente debilitam a saúde e levam à morte. Mas também é verdadeiro em relação à mentira e à fofoca, que matam de modos mais sutis.

3) Um presente que envergonha. Uma ideia muito difundida hoje em dia é a de que a vergonha é culpa da religião, um dos males que a fé causa à humanidade. A resposta bíblica é diferente: ninguém teria do quê se envergonhar se não existisse o pecado. Se sentimos vergonha, a culpa não é de Deus, e nem da Bíblia por nos ensinar o que é certo. A culpa é de nós mesmos, e é necessária para evitar que a sociedade mergulhe em um cenário de verdadeiro caos.

A vergonha que Adão e Eva sentiram, escondendo a sua nudez, foi o primeiro sinal claro de que eles erraram. Por meio da culpa, eles perceberam que agiram mal desobedecendo a Deus. Se eles simplesmente não a sentissem, jamais entederiam o mal que cometeram.

Quando a vergonha desaparece, então é o caso de realmente temer o futuro. Quando o assassino não se envergonha mais de matar, o traficante de vender drogas, o político de roubar ou o adúltero de trair a confiança da esposa, tudo o que podemos esperar é mais assassinatos, tráfico, roubos e adultérios.

Claro que há casos patológicos de vergonha...e mesmo nos casos em que ela é legítima, o ideal é que ela não dure para sempre. Mas somente quando nos resolvemos com Deus é que, de fato, podemos ser genuinamente libertos do sentimento de culpa. Mas isso é assunto para um próximo post.

4) Um presente que estraga a vida. A perspectiva da morte física e a vergonha já são motivos suficientes para ver o pecado como algo que destrói a beleza da existência neste mundo. Mas a verdade é que essa destruição não é algo que acontece apenas na hora da morte, mas sim, todos os dias.

Pense, por exemplo, no sexo livre, na ideia de que podemos ter relações sexuais com quem quisermos, quando quisermos, independente de compromissos assumidos. Todos os dias, pessoas contraem doenças sexualmente transmissíveis ou engravidam de modo indesejado por causa desse pensamento. Mais: casamentos terminam, pessoas que estão "amigadas" se sentem usadas e uma série de problemas emocionais são gerados diariamente por este pecado.

A mentira e a fofoca destróem, às vezes de modo irreversível, reputações ao redor do mundo. Alguns até se matam por não suportarem o vexame. Pessoas deixam de fazer negócios, ou até mesmo de namorar, por causa de mentiras e fofocas.

No texto bíblico acima, vemos que todos, sem exceção, sofrem algum tipo de maldição divina pelo pecado. A serpente comeria pó (entendo em um sentido figurado, o diabo seria colocado na posição de mais baixa das criaturas), a mulher sentiria as dores do parto e o homem trabalharia com o suor do rosto.

O pecado, na verdade, fez um estrago ainda maior. Mas este é o assunto de um próximo post.

Por Helder Nozima
Do blog: Reforma e Carisma

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Nenhum comentário:

Postar um comentário